Gran Canaria
GranCanaria.com El Tiempo Hoy Home

Cultura

 

Facas

Tal como o seu nome indica, o aparecimendo da knife está possivelmente ligado à presença inglesa nas Canárias.

A faca canária, uma peça fundamental no lar dos nossos camponeses, é exclusiva de Gran Canaria, já que a sua produção nunca chegou a ter lugar nas restantes Ilhas. Os artesãos que as fabricam estão ligados às artes da forja e do ferro, embora alguns deles se tenham especializado no fabrico do seu cabo, deixando a lâmina para os ferreiros.

Tradicionalmente, as oficinas onde as facas de Gran Canaria são fabricadas, ao contrário do que acontece noutros oficinas semelhantes de Espanha, que também são lugares de produção de todo o tipo de utensílios cortantes para a cozinha ou para o trabalho, só fazem uma peça – a faca canária. Hoje em dia, estas facas típicas costumam ser comercializadas para uma clientela que as usa como objecto decorativo e fazem-se novos moldes inspirados na sua técnica, com funções várias: abre-cartas, talheres, medalhas e brincos, aumentando assim a oferta.

A faca canária é uma das poucas peças de artesanato cuja posse é motivo de orgulho para o camponês da Ilha. A sua propriedade é mantida dentro da família ao longo dos tempos, já que é herdada de pais para os filhos varões. É um utensílio de trabalho indispensável no trabalho do campo, pois com ela o agricultor corta as ervas, os ramos, enxerta árvores e realiza muitas outras tarefas relativas ao cultivo dos campos; o pastor corta folhas de  piteira e usa-a como bisturi no momento de sangrar um animal. Também não se pode esquecer que a faca foi utilizada em muitas ocasiões como arma de defesa e que muitos homens afirmam que “andar sem faca é como andar nu”.

O ofício de faqueiro é exclusivamente masculino. A folha de lâmina é preparada por um ferreiro, os cabos são montados por um faqueiro e quem a usa é tradicionalmente o homem. As mulheres nunca a usam e muito menos possuem uma faca canária, apesar de muitas das suas actvidades domésticas requerem utensílios cortantes. A faca, para além do seu valor utilitário, é um símbolo da virilidade de quem anda com ela.

A transmissão do oficío é feita de pais para filhos e é sempre estritamente masculina. Os filhos herdeiros costumam ser os que se tornam faqueiros. É preciso aprender técnicas que, além de serem muito específicas, são muito laboriosas.

O processo de trabalho é o seguinte:

Corta-se o corno em círculos de diferente espessura e diâmetro, furam-se os círculos no centro para serem encaixados na ponta da lâmina da faca; prendem-se os dois extremos com duas casquilhas metálicas. Fazem-se umas incisões nos círculos do corno, em diferentes partes, e nas gretas abertas colocam-se lascas de metais de diferentes cores. O acabamento é obtido com o polimento o cabo.

A técnica de incrustação, que consiste na introdução numa peça de pequenas peças de materiais nobres, de modo a desenhar formas geométricas e orná-la com cores garridas, é semelhante à que é utilizada na elaboração dos cabos das facas canárias.

Os principais centros de fabrico de facas canárias encontram-se nas localidades de Guía, Gáldar e Telde.

Patronato de Turismo de Gran Canaria. Todos los derechos reservados.
Marco Legal