Gran Canaria
Sítio Web Oficial do Turismo de Gran Canaria
Silueta Gran Canaria Site Map
Gran Canaria
A Ilha

Festas e Informaçao

Festas e celebrações

A principal e mais antiga festa do concelho é a Festa em Honra a Santa Brígida, padroeira da vila. O primeiro sábado de Agosto se celebra uma romaria oferenda, que remonta ao ano 1957. Neste acto festivo concorrem todos os bairros da vila com carro alegórico com adereços típicos e com romeiros, magos e grupos musicais.

Por outro lado, a Festividade de San António, que se celebra o 13 de Junho, destaca pelos diferentes actos, mas sobre tudo pela FLORABRÍGIDA, exposição de flores, plantas e pássaros esta exposição se celebra desde 1975.

Na zona de La Atalaya se celebra a Festividade em Honra a San Pedro. Trata-se duma festa tradicional que inclui a Romaria das Archotes, na que os romeiros se dirigem as grutas dos oleiros com o Santo.

A Descida ao Veleiro se celebra a finais de Agosto no bairro de Las Meleguinas. Os vizinhos do lugar e imitam, entre festas, a actividade das lavadeiras.

E na véspera do Dia de Todos os Santos se celebra a Festa dos Finaos na zona de reúnem para falar e comer os frutos de Outono (castanhas assadas) maçãs do país, vinho e taça de anis. Esta festa se celebra também no centro da aldeia.

História

O concelho de Santa Brígida há sofrido diversas mudanças na sua própria denominação ao longo da história. Assim Sataute, que significa “palmeira”, foi a denominação aborígene. Outros nomes que da mesma forma recebeu este concelho são: El Lugar de La vega, La Vega, Vega de Abajo, Vega de San Antonio e, por último, Santa Brígida ou Vila de Santa Brígida.

Os aborígenes canarios sobreviverão neste concelho utilizando o bosque como meio de subsistência: para obter lenha para seus fornos de cerâmica e suas fogueiras, e madeira para suas ferramentas e utensílios. Assim, se reflicta nos jazigos arqueológico da vila, como La Atalaya e Gruta dos Canários.

A vila de Santa Brígida, passou a formar parte da história de Canárias, por haver sido capital e quartel-general da ilha durante uma semana, que foi o tempo que se demorou em derrotar e expulsar ao exército holandês capitaneado pelo almirante Pierter Van Der Does.

Santa Brígida foi fundada a começo do século XVI. Trás a conquista da ilha de Gran Canaria, a Vega é um dos primeiros concelhos que procede a reaparição de terras e águas já que disponham de águas em abundâncias e boas terra, e, por outro lado, não estara muito longe da capital. Estas condições resultarão muito atraentes no momento de colonizar seus terrenos.

Logo a seguir, se produz a gestação dum novo paisagem. A produção vitícola, com suas caves e lagares, se irão convertendo no protagonista da economia de Santa Brígida. Apesar da hegemonia da vinha, plantarão outros cultivos, como o cereal, base fundamental da dieta alimentaria dos séculos modernistas, ou a cana-de-açúcar produto que no século XVI ocupou grande parte dos campos de cultivos.

Santa Brígida se converte assim num dos lugares mais atraentes, já que as condições climáticas e a capacidade produtiva da terra, a situam como um núcleo populacional importante.

No século XVII se produz um importante aumento da população, mantendo-se esta tendência durante os séculos posteriores. Os habitantes se distribuem entre os bairros de El Monte, La Atalaya, Las Cuevas, Las Goteras, Satautejo, La Angostura, Los Silos, Lomo Espino e Pino Santo. Santa Brígida se converteu, desta forma, a terceira, povoação mais importante de Gran Canaria, seguindo a Las Palmas de Gran Canaria e Telde.

Dados geográficos

Com uma superfície de 23,81 quilómetros quadrados, Santa Brígida se localiza na metade noroeste da ilha de Gran Canaria, desenvolvendo-se desde a costa dos 350 metros do leito do Guiniguada até os 900 metros das ladeiras de Pino Santo.

A vila de Santa Brígida é um dos concelhos grancanarios que oferecem maior diversidade paisagística, sobre tudo, uma grande variedade da flora. De facto, seu núcleo urbano se encontra ao lado dum barranco com belos palmeirais, origem de seu toponímia pré hispânica: Sataute.

Actualmente, em Santa Brígida se mistura um passado agrícola e um presente residencial, ao ser o território preferido por aqueles que aspiram a viver em sumptuosas casas e vivenda longe da grande urbe a qual se há transformado a capital da ilha. Isto foi possível a fertilidade destas terras, onde quase todos os topónimos fazem alusão a seu pasado de grandes extensões de planta autóctones: Monte Lentiscal, Los Olivos, Madroñal, Pino Santo…

A zona de La Atalaya é um antigo povoado oleico de casas escavadas nas grutas, que na actualidade apesar  do desenvolvimento mantém viva a tradição oleira. Muito perto se encontra o campo de golfe e a Caldeira de Bandama, cratera vulcânica de 1 quilómetro de boca, cuja melhor vista se consegue desde o miradouro do mesmo nome a 574 m. de altitude, desde onde também se divisam Las Vegas, a capital da ilha e o concelho de Telde.

Economia

Na actualidade a economia agrária há passado num segundo plano, produzindo-se no concelho um aumento das zonas edificadas, portanto um retrocesso no sector agrícola.

As actividades comerciais e o turismo, junto ao desenvolvimento destas urbanizações, hão propiciado este giro na economia do concelho.

No entanto, a actividade vitícola de Santa Brígida segue sendo de um prestigioso reconhecimento na ilha.

FacebookYouTubeTwitterInstagram

Rotas

Mapas

Mais informações

Os cookies permitem-lhe oferecer um melhor conteúdo. Ao utilizar os nossos serviços aceita a sua utilização. Se continuar a navegar, entendemos que aceita a sua utilização.