Gran Canaria
Gran Canaria
A Ilha

Festas e Informação

Festas e celebrações

Gáldar celebra a festa principal da povoação, em honra do seu padroeiro, a 25 de Julho: Festa de Santiago dos Cavaleiros. Entre os actos festivos organizados de 1 de Julho a 5 de Agosto são de destacar a escolha da Guayarmina e da sua corte de Tenesoyas; a celebração da Romaria  - Oferenda ao Santo Padroeiro em que participam os vários bairros do município e carroças de outros municípios da ilha, que se aproximam da Igreja de Gáldar para oferecerem os produtos típicos de Gran Canaria a Santiago Apóstolo; as carroças, a batalha de flores e o fogos de artifício no centro da povoação; e a tradicional bênção dos carros no Templo Matriz de Santiago, a 27 de Julho, por ocasião da festividade de São Cristóvão.

Entre outras romarias, é de referir as que se celebram em Gáldar  no mês de Maio, em honra de Santo Isidro e o “Auto dos Reis Magos”, onde a  cada 5 de Janeiro a cidade Gáldar se veste de gala para reviver uma época de memórias e saudade, através da encenação do Auto dos Reis Magos. Gáldar é uma das poucas cidades que tem mantido viva a longo do tempo a tradição de representar esta obra.

Outras festas que merecem atenção dentro do município são os Carnavais, celebrados durante o mês de Fevereiro.

História

A antiga Agáldar, sede de vários dos órgãos do poder social e político da ilha, foi a povoação mais destacada dentro do território insular antes da conquista espanhola. Reconhecidos os seus dirigentes como reis das Canárias pelos monarcas espanhóis, Agáldar gozou de um reconhecimento tácito como capital pré-hispânica, como berço e corte da dinastia governante da ilha.

A criação da paróquia de Santiago de Gáldar, a finais do século XV, converte o município num dos principais focos das origens do cristianismo nas Canárias, consolidando a continuidade da vila como centro político e administrativo do terço ocidental norte de Gran Canaria, da qual se segregariam com o tempo as unidades territoriais de Guía, Agaete e Artenara.

Gáldar, que conservou muitos dos vestígios do seu nobre passado até finais do século XVIII, viveu no fim deste século uma época de esplendor económico e social que daria lugar, numa fase posterior, a um período de remodelação urbana de quase um século, à qual se fica a dever uma grande parte do traçado actual da cidade.

Do prestígio da vila de Gáldar no século XIX é sinal a eleição da mesma como Sede Provisional da Audiência em 1812, a eleição do partido judicial em 1837, a emotiva instauração da Comissão Provincial do Governo em 1843, a Fundação Real do Teatro em 1847, a criação da Delegação de Marinha em 1859 ou a obtenção do título de cidade em 1894.

O século XX, após a grande actividade mercantil e o trauma da Guerra Civil das primeiras décadas, sobressaiu nos últimos anos por uma intensa recuperação económica e demográfica, dando origem um centro histórico rico e extraordinariamente variado, onde coexistem parques arqueológicos, edifícios públicos e privados dos mais diversos estilos, que datam desde o século XVII até aos nossos dias.

Dados geográficos

O município de Gáldar está situado no ângulo ocidental norte da ilha de Gran Canaria, na zona denominada "região do Noroeste", a 27 quilómetros de distância da capital da ilha.

A sua extensão é de 61,58 quilómetros quadrados e o vértice superior do município, que alcança a área centro da ilha desde a costa norte, situa-se a 1 700 de altura acima do nível do mar. O seu perímetro assemelha-se ao de um triângulo irregular com um vértice muito afiado.

Gáldar tem por limite, a Norte, o Oceano Atlântico; a Sul, o município de Artenara; a Este, com Santa María de Guía e Moya; e a Oeste, com Agaete.

Nas zonas altas deste município nortenho de relevo acidentado, encontramos morfologias bastante diversas, tais como o Montañón Negro, Caldera de los Pinos de Gáldar e Hondo de Fagagesto, resultantes de antigas erupções vulcânicas.

Economia

A configuração geográfica e histórica de Gáldar faz com que este município se debruce sobre a actividade agrícola, da qual é de salientar o cultivo da banana, visto ser o município onde se produz a maior quantidade desta fruta, quando comparado com outras povoações de Gran Canaria, ressalvando além do mais a produção de plantas e flores ornamentais.Outras culturas tradicionais são a do tomate e as célebres cebolas de Gáldar, para além das culturas próprias das medianias, tais como as papas, o milho, etc.

A exploração de gado também se constitui como uma actividade importante na vida do município, dando como exemplo a forma como Viera y Clavijo (século XVIII) garante a excelência e celebrada fama dos seus queijos de leite de ovelha e flor.

FacebookYouTubeTwitterInstagram

Rotas

Mapas

Mais informações

Os cookies permitem-lhe oferecer um melhor conteúdo. Ao utilizar os nossos serviços aceita a sua utilização. Se continuar a navegar, entendemos que aceita a sua utilização.